14 de ago de 2012

A reciclagem do lixo começa em casa


Somos um país que desperdiça muitos materiais que poderiam ser reaproveitados. Temos indústrias que dominam técnicas de reutilização de papel, papelão, plástico, alumínio, vidro, embalagens de papelão com alumínio por dentro, convertendo esses produtos em matéria prima.
Precisamos ter consciência do que o lixo representa em nossa vida, e de quanto o lixo não-tratado constitui agressão ao ambiente. Podemos fazer a seleção do lixo em nossa própria casa, doando ou vendendo o que pode ser reciclado ou reaproveitado. Além de diminuir a quantidade de resíduos nos depósitos de lixo, que interferem no ambiente, o reaproveitamento e a reciclagem representam economia, gerando empregos e renda para países em desenvolvimento como o nosso. Devemos também pensar que as atuais reservas naturais de muitos materiais irão se esgotar brevemente (como o cobre); e que outros têm alto custo de obtenção.
Se separarmos os vários tipos de materiais que vão para o lixo (papel, vidro, metal, plástico), facilitamos o reaproveitamento. Em várias cidades já foram instalados Postos de Entrega Voluntária de lixo (por exemplo, Curitiba), em lugares para onde a população pode levar os materiais previamente separados (em geral, são latões ou caçambas de cores diferentes para cada tipo de material).
Devemos aprender a produzir menos lixo e a não misturar o que, separado, teria seu valor. Lixo não é outra coisa senão material bom no lugar errado.






(Extraído de "Ecologia: do jardim ao poder". Ciência Hoje das crianças. Porto Alegre. 1985.).

Nenhum comentário:

Postar um comentário